Domingo, 18 de Janeiro de 2009

O olhar de uma criança....

 

 

Era um olhar atento de criança....

 

diria mesmo que seria inquisidor

 

Não por qualquer atitude afectada de descrença

 

mas o lado inquisitório doía

 

pois olhando em volta

 

Tudo o que prometíamos aquela criança

 

Era pura mentira....O Mundo era lindo de se viver...

 

E não era....

 

As arvores eram pedaços de nós , para estimar...

 

E não estimávamos

 

Porque os homens são bons

 

E não são, há guerras fora e dentro das linhas...

 

O amor....é uma mentira...

 

E como desgostar este pequeno ser tão crédulo, tão dependente

 

Tão cheio de confiança em nós?

 

que mundo perverso....

 

Era preciso ser cego , surdo e mudo...

 

E brincar com a criança.....

 

 

sinto-me: Descrente
publicado por ligeirinha às 21:57
link do post | comentar | favorito
11 comentários:
De poetaporkedeusker a 22 de Janeiro de 2009 às 22:26
Ligeirinha, ainda esta noite ou amanhã vou publicar um texto para a Fábrica de Histórias. Não te assustes!
Não é exactamente um texto alegre, mas parece pior do que é... deixa-me ao menos tentar descrever as minhas vivências à minha maneira. A fábrica pede um texto sobre um segredo e solicita que seja descritivo da hipotética angústia gerada por esse segredo. Não quero que fiques como da outra vez, por favor!
Deixa-me escrever o que só sinto às vezes e nem sempre é muito cor-de-rosa...
Beijinho grande para ti! Se puderes dá-me a tua "autorização"...
De Peter a 22 de Janeiro de 2009 às 20:17
tudo pode ser verdade , mas temos podemos acreditar que pode ser mentira...é tudo uma incerteza...das particulas., mas para cima é que é preciso forçar, para baixo, vamos bem....não é por aí que todos os santos ajudam ????
Acima. acima, gageiro !!!!! bacio. ciao.
De cateespero a 20 de Janeiro de 2009 às 14:05
Namasté = curvo-me perante ti.
Quando saudação, um "namaste" pode ser dito com as mãos juntas em frente ao tórax com uma ligeira curvatura. Para indicar profundo respeito, pode-se colocar as mãos em frente a testa. Cumprimento usado na India. Beijos! António
De cateespero a 19 de Janeiro de 2009 às 21:05
Estou de volta! Entrei e… repousei meu olhar na tua bela escrita! Sabes? Se visitas és visitada, se não visitas... Só tu e mais uma amiga é que não esqueceram... NAMASTÊ! António
De ligeirinha a 19 de Janeiro de 2009 às 22:02
Ora viva!
Como foi boa a visita, adorei!
Para a proxima vai com chazinho!
Namastê? Não percebi.....
De Velucia a 19 de Janeiro de 2009 às 02:17
Olá Ligeirinha

Achei lindíssimo teu poema, mas parece-me com mágoa.
O amor... mentira!?
E o amor daquele que morreu por nós na cruz...
Será também mentira? Não acredito!
Mesm que não tenhamos a quem amamos, pensemos nele que nos ama tanto!
E saiba... "A felicidade não é deste mundo".
Pense na semente... Consegue?
O que vê? Apenas a semente?
Pense, reflita.

Desculpe dizer assim, mas não consigo aceitar que o amor é uma mentira.

Ps. Este poema, deveria ter enviado para o poesiaemrede.

Um abraço amigo.
De ligeirinha a 19 de Janeiro de 2009 às 22:10
[(FS) Velucia , o seu blog é teimoso mesmo! Demora....demora....demora....quase se chega ao Brasil!
muito obrigada pelo seu comentário , eu sei que é amargurado ,mas sabe a minha vida tem sido tão amargurada, que por vezes penso mesmo por quanto mais tempo será?
Tenho fé , e isso ajuda muito mesmo e com jeito ainda conservo algum humor, a custo, mas isso me alegra a vida um pouco. amigos são umas flores que tenho para regar....E aqui vai um grande abraço!
De Velucia a 19 de Janeiro de 2009 às 22:30
Oi ligeirinha

Ele é teimoso até comigo1
Só não gosto de ver as pessas sofrendo por isso fiz o comentário anterior, só n]ao quero que se magoe .
A fé também nos move. Fé e esperança.

Um abraço
De poetaporkedeusker a 19 de Janeiro de 2009 às 00:29
Magnifíco poema Ligeirinha, mas eu não acredito que não haja amor! Pois se eu o sinto! Pois se é o meu último reduto! Existe pois! O mundo pode ser perverso - é peverso - mas tem amor! Tem pessoas, coisas, animais que amam! Ah, eu sei que não estimamos esses pedaços de nós que são as árvores, que podemos ser muito cruéis, que fazemos guerras, que mentimos... mas também amamos! E eu tenho de acreditar que esse amor é bem mais forte do que o resto! Não sei se é a criança em mim que acredita... mas eu acredito! Eu sei! Posso ter morrido, posso vir a sofrer ainda mais, mas o amor que eu
senti, esse ninguém o pode negar! Olha, mesmo que eu morra já, ele estará impresso na maioria dos meus poemas e das minhas telas!
E o teu também anda por aí, nos teus poemas, ao lado dos momentos magoados, por dentro das reticências...
Mas o poema é magnifíco! Claro como água e cheio de verdades excepto naquela linha em que dizes que o amor é uma mentira. Não é, Ligeirinha! Tu sabes que não!
Beijinho grande! Não te posso deixar o cometa porque o Sapito não mo dá!!! :I
De ligeirinha a 19 de Janeiro de 2009 às 22:15
Querida poeta, sempre presente! Que bom! Sinto-me tão protegida! A sério! O que escrevo é para tu dizeres da tua justiça....pois por mais ninguém tenho cultivado qualquer espécie de escrita ou poema, como os classificas , ou gatafunhos como eu lhes chamo.
Tenho saudades de tanta gente........ hoje estou triste... Beijinhos!
De poetaporkedeusker a 19 de Janeiro de 2009 às 23:18
Sei que nem sempre é fácil, amiga. Eu mesma ando um pouco triste, já se vai notando, mesmo para as pessoas que só me vêm de vez em quando... mas passa, Ligeirinha. Há sempre um dia melhor, mais azul, mais brilhante. Vamos fazendo uns sorrisos aqui, outros ali... e melhora, por instantes. Depois melhora mesmo! Tem de ser!
Beijinho grande!

Comentar post

.mais sobre mim

.Março 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Tanto tempo.....

. Morre-se em Agosto.... - ...

. No tempo em que tardam a...

. Desembaraçou-se de mim......

. Quando finalmente ficar s...

. Morre-se em Agosto....

. Amanhã....

. Sentimento estranho este....

. Este trilho meu....

. Cansei de mim....

. As idades que nunca tive....

. As palavras mendigadas .....

. Neste tempo da vida.....

. A aventura de sermos nós....

. Perguntei ás folhas....

. Gosto do azul intenso....

. Hoje é dia de lua cheia.....

. Esta procura constante......

. Foi ágil o pássaro....

. Subtilmente.....

. Bocadinhos de mim....

. Esta estranha sensação d...

. Papoilas

. Este turbilhão dentro de ...

. Mão cheia de nadas......

. Espaço raso de agua

. Quem me dera ver azul....

. Ventos de Africa...

. O cheiro da Primavera....

. Amiúde me enterneço.....

. Só gosto da luz do mar......

. Passou-se outro ano....

. Estou só.....

. Dia irreal de Outono....

. Tão inuteis as palavras!!...

. A memória não mente....

. A medo.....

. Portinho

. A arvore da minha paixão!...

. Desfile do Primeiro de Ma...

. Outra casa em Lima

. Numa rua em Lima colonial

. Tralha peruana!

. Cusco-Perú

. Lima!!!

. Cherries Blossom!

. A morte por um fio...ou a...

. Centro Pompidou-Março 201...

. No dia de anos-Jardim do ...

. Paris-70 anos!

.1 Agosto 2008

.tags

. todas as tags

.favorito

. Esta estranha sensação d...

. A morte por um fio...ou a...

. Quando finalmente ficar s...

. Tão inuteis as palavras!!...

. Esta procura constante......

. O Cipreste

. Neste tempo da vida.....

. A aventura de sermos nós....

. Gosto do azul intenso....

. Estou só.....

.links

.1 Agosto 2008

blogs SAPO